TAISA S/A sedia debate entre gestores de RH sob o tema “Recrutar, desenvolver e reter” colaboradores.

Tendo como local a sede social da empresa Taisa S.A, em Pato Branco, reuniram-se recentemente diversos gestores da área de RH – Recursos Humanos ligados a empresas de pequeno, médio e grande porte, esta foi a segunda reunião em que se debateu sobre a problemática de rotatividade existente nas empresas do município.

Segundo os coordenadores do grupo de discussão, a proposta está em promover a troca de idéias e experiências, discutindo amplamente o que se faz e o que fazer para a retenção de colaboradores, evitando os altos índices de rotatividade.

Para esta oportunidade, a convite da direção da Taisa, veio de Curitiba o Sr. Osmar Pereira Júnior, Diretor Executivo da ABRAFORTE-Associação Brasileira de Distribuidores New Holland, que há dois anos também presta serviços de consultoria.

Para Pereira Júnior, grandes e pequenas empresas sofrem a alta rotatividade funcional. Sua palestra sobre “Absenteísmo” (Termo que trata sobre ausências dos colaboradores nos ambientes de trabalho) aponta que a “formação e retenção de talentos” é o grande desafio do líder de hoje. “Recrutar, desenvolver e reter” reflete uma preocupação aqui e no mundo, afirmou em entrevista. “O líder precisa atuar como gestor, focado em gerir pessoas para obter resultados”, complementou.

Ainda para o palestrante do encontro, “a velocidade com que circulam as informações, exige que a discussão entre os gestores de RH seja um fórum permanente”. Além disso, afirmou Pereira Júnior, “é preciso saber quais os principais anseios dos jovens talentos e, diante das revelações, propiciar ações que contemplem oportunidades de atendimento de tais anseios, mantendo constantes desafios”.

Para Taciana Pezarico, assistente social, coordenadora de projetos sociais, recrutamento e seleção de pessoal da empresa Atlas, e uma das coordenadoras do grupo de debates, rotatividade é questão praticamente igual entre as empresas regionais. “Estamos todos em busca de alternativas, através da troca de experiências, buscando manter a mão de obra qualificada e mesmo a sem qualificação. Certamente, de 2007 para cá, tem sido grande a influência da informalidade, provocada pela construção civil e por serviços em propriedades agropecuárias”, comentou Taciana.

Irineu Moresco, Diretor da Taisa, sede desta segunda reunião de palestra e debate, afirmou que a empresa tem desenvolvido diversos projetos que motivam a “fidelização” dos colaboradores, fazendo-os se sentir parte da empresa. “Nesses trinta e cinco anos da Taisa, o nosso foco sempre esteve voltado para o cliente e para a equipe de colaboradores, além de outras estratégias. E fazer parte deste grupo de discussão, com gestores de RH, contribui em muito para a integração empresarial”.

Dentre os pontos discutidos no evento em questão, destacaram-se: – “Mesmo de empresas que atuem só com serviços, o núcleo funcional é de gestão”. – “Dentro das atividades todas, nos fatos gestores está o foco de “Saúde” do trabalhador”. – “Desafio coletivo: Como lidar com as dificuldades de rotatividade”. -“Para muitas empresas o seu principal patrimônio às 18h vai para casa”. – “Habilidades do líder e como motivar a todos dentro das empresas”. E: – “Ações que possam resultar no entrosamento social e profissional dos colaboradores na empresa”.

Do evento participaram doze representantes das empresas: Soft Eletronics, Avícola Pato Branco, Viasoft, Atlas, Policlínica Pato Branco, Hospital São Lucas, Equilíbrio / Mussi   e Taisa.  Ao final, cada representante ficou de promover convite para novas adesões e com isso, favorecer a ampliação dos debates e busca de soluções.

Rubens Camargo

Mil Idéias Comunicações e Marketingk

Pato Branco-PR.

Publicado em